Os Biomas Brasileiros

Excelente material criado por Wagner de Cerqueira E Francisco

O Brasil, em razão de sua grande extensão territorial, apresenta um complexo mostruário das principais paisagens e ecologias do planeta. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país possui nove biomas diferentes: Caatinga, Campos, Cerrado, Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Mata de Araucária, Mata de Cocais, Pantanal, Zonas Litorâneas.

Caatinga

Caatinga

 Caatinga
Com extensão territorial de 800 mil quilômetros quadrados, presente nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia, Piauí e no norte de Minas Gerais, esse é o único bioma exclusivamente brasileiro.
A caatinga tem uma vegetação típica de regiões semiáridas, formada por plantas xerófilas, adaptadas ao clima seco e à pouca quantidade de água. A fauna é representada por répteis, roedores, insetos, aracnídeos, arara-azul, sapo-cururu, asa-branca, cutia, gambá, preá, veado-catingueiro, entre tantos outros.

Bioma Campos

Bioma Campos

Campos
Os campos são caracterizados por vegetação composta de herbáceas, gramíneas e pequenos arbustos esparsos. Esse bioma está distribuído em áreas descontínuas do Brasil, sendo encontrado na Região Norte (Amazonas, Roraima e Pará) em forma de savanas de gramíneas baixas; e na Região Sul, com as pradarias mistas subtropicais.

Cerrado

Cerrado

Cerrado
Segundo maior bioma brasileiro, o cerrado está presente em diferentes Regiões brasileiras, entretanto é na Região Centro-Oeste que ele predomina. Apresenta clima quente e períodos alternados (6 meses) de chuva e seca. Sua vegetação é composta por árvores esparsas, arbustos e gramíneas. Uma das principais características do cerrado são as árvores com caules tortuosos e folhas coriáceas, além do solo com poucos nutrientes e com grande concentração de alumínio. A diversidade de espécies da fauna é grande: tamanduá-bandeira, tatu-bola, veado-campeiro, capivara, lobo-guará, onça-pintada, etc.

floresta amazonica

Mata Atlantica

mata de cocais

Mata de Cocais

Mata de Cocais
Ocupa uma zona de transição entre a Amazônia e as terras semiáridas do Nordeste brasileiro, abrangendo porções dos estados do Maranhão, Piauí e Tocantins. Possui solos secos e florestas dominadas por palmeiras. Sua vegetação é formada por palmeiras, como o buriti, oiticica, babaçu e carnaúba.

pantanal

zona litoranea

Zona Litoranea

Zonas Litorâneas
O Brasil possui uma costa litorânea de mais de 7 mil quilômetros de extensão em linha contínua. A paisagem do litoral brasileiro é bem diversificada, composta por dunas, ilhas, recifes, costões rochosos, baías, estuários, brejos e falésias.

Outro bioma brasileiro de grande importância é o manguezal.

Mangue

Anúncios

Green School – Making a Different

Example for Humanity in Bali, Indonesia

Empowering global citizens and green innovators who are inspired to take responsibility for the sustainability of the world

see more: www.greenschool.org

by Óscar Kemps

 

O que é Ecossistema?

Por Caroline Faria

ecossistema  é a unidade principal de estudo da ecologia e pode ser definido como um sistema composto pelos seres vivos (meio biótico) e o local onde eles vivem (meio abiótico, onde estão inseridos todos os componentes não vivos do ecossistema como os minerais, as pedras, o clima, a própria luz solar, e etc.) e todas as relações destes com o meio e entre si. 

Para que se possa delimitar um “sistema ecológico” ou ecossistema é necessário que haja quatro componentes principais: fatores abióticos, que são os componentes básicos do ecossistema; os seres autótrofos, geralmente as plantas verdes, capazes de produzir seu próprio alimento através da síntese de substâncias inorgânicas simples; os consumidores, heterotróficos – que não são capazes de produzir seu próprio alimento, ou seja, os animais que se alimentam das plantas ou de outros animais; e os decompositores, também heterotróficos, mas que se alimentam de matéria morta.

A totalidade destes organismos interagindo em um determinado local de forma a criar um ciclo de energia (do meio abiótico para os seres autótrofos, destes para os heterótrofos e destes para o meio abiótico novamente) caracterizando os níveis tróficos da cadeia alimentar constitui um sistema ecológico ou ecossistema, independentemente da dimensão do local onde ocorrem essas relações.

As dimensões de um ecossistema podem variar consideravelmente desde uma poça de água até a totalidade do planeta terra que pode ser considerado como um imenso ecossistema composto por todos os ecossistemas existentes (ecosfera).

Mas não se deve confundir “ecossistema” com “bioma”. O bioma é geograficamente mais abrangente e é predominantemente definido de acordo com um conjunto de vegetações com características semelhantes além de outros requisitos (como a Mata Atlântica).

Entretanto, como o ecossistema pode ser considerado em grande escala, as definições ficam um pouco confusas. Mas, geralmente para grandes extensões de território (de dimensões regionais) usa-se a denominação “bioma”.

Os ecossistemas são classificados de duas formas: em ecossistemas terrestres e ecossistemas aquáticos. Ambos possuem o funcionamento parecido com apenas a diferença óbvia da quantidade de água entre um e outro o que faz com que comportem formas de vida completamente diferentes embora algumas possam compartilhar ou migrar de um meio para o outro. Aos locais onde os dois tipos de ecossistemas se encontram dá-se o nome de “wetlands”, no termo em inglês, que podemos chamar de “terras alagadas”. São regiões como o Pantanal Matogrossense e as regiões alagadas da Amazônia.

Fontes
http://www.portaldomeioambiente.org.br
http://campus.fortunecity.com
http://www.ibge.gov.br

O que é Natureza?

A Natureza, em seu sentido mais amplo, é equivalente ao mundo natural ou universo físico. O termo “natureza” faz referência aos fenômenos do mundo físico, e também à vida em geral. Geralmente não inclui os objetos artificiais construídos pelo homem.
A palavra “natureza” provém da palavra germânica naturist, que significa “o curso dos animais, caráter natural.” Natura é a tradução para o latim da palavra grega physis (φύσις), que em seu significado original fazia referencia à forma inata que crescem espontaneamente plantas e animais. O conceito de natureza como um todo —o universo físico— é um conceito mais recente que adquiriu um uso cada vez mais amplo com o desenvolvimento do método científico moderno nos últimos séculos.
Dentro dos diversos usos atuais desta palavra, “natureza” pode fazer referencia ao domínio genal de diversos tipos de seres vivos, como plantas e animais, e em alguns casos aos processos associados com objetos inanimados – a forma em que existem os diversos tipos particulares de coisas e suas mudanças espontâneas, assim como o tempo atmosférico, a geologia da Terra e a matéria eenergia estes entes possuem. Frequentemente se considera que significa “entorno natural”: animais selvagens, rochas, bosques, praias, e em geral todas as coisas que não tenham sido alteradas substancialmente pelo ser humano, ou persistem apesar da intervenção humana. Este conceito mais tradicional das coisas naturais implica uma distinção entre o natural e o artificial, entendido este último como algo feito por uma mente ou uma consciência.
Imagem

Continuar lendo

Enchentes e Tragédia no Nordeste – Façam suas doações

Em muitas cidades, as cheias inundaram as unidades de captação e distribuição de água. Também faltam alimentos e itens como colchões e cobertores. Por isso, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil disponibilizam locais para doação e pedem, principalmente, mantimentos, roupas, produtos de limpeza e higiene pessoal e quantias em dinheiro. Veja onde os postos de arrecadação estão localizados e saiba como ajudar as vítimas das enchentes:

Alagoas

As doações podem ser feitas nos quartéis do bombeiros nos seguintes locais:

Capital

1º Grupamento de Bombeiros Militar (1º GBM) — Rodovia 316, Km 14, Tabuleiro dos Martins, próximo a Policia Rodoviária Federal,

(82) 3315-2900               (82) 3315-2900       / (82) 3315-2905               (82) 3315-2905

Grupamento de Socorros de Emergência (GSE) — Conjunto Senador Rui Palmeira, S/N,

(82) 3315-2400             (82) 3315-2400

Subgrupamento Independente Ambiental (SGIA) — Av. Dr. Antônio Gouveia, S/A, Pajuçara, próximo ao Iate Clube Pajuçara, (82) 3315-9852              (82) 3315-9852

Quartel do Comando Geral (QCG) — Av. Siqueira Campos, S/N, Trapiche da Barra, próximo a Pecuária,

(82) 3315-2830              (82) 3315-2830

Defesa Civil Estadual (CEDEC) – Rua Lanevere Machado n.º 80, Trapiche da Barra, próximo a Pecuária,

(82) 3315-2822               (82) 3315-2822     / (82) 3315-2843               (82) 3315-2843

Grupamento de Salvamento Aquático (GSA) — Av. Assis Chateaubriand, S/N, Pontal, próximo a Braskem, (82) 3315-2845              (82) 3315-2845

Interior

2º Grupamento de Bombeiros Militar — Maragogi,

(82) 3296-2026               (82) 3296-2026       / (82) 3296-2270              (82) 3296-2270

6º Grupamento de Bombeiros Militar — Penedo,

(82) 3551-7622               (82) 3551-7622    / (82) 3551-5358              (82) 3551-5358

7º Grupamento de Bombeiros Militar — Arapiraca e Palmeira dos Índios,

(82) 3522-2377             (82) 3522-2377     (82) 34212695               (82) 34212695

9° Grupamento de Bombeiros Militar — Santana do Ipanema e Delmiro Gouveia, (82) 3621-1491 / (82) 3621-1491       / (82) 3621-1223         (82) 3621-1223

Doadores de outros Estados

Para quem não está no Estado, mas também quer colaborar, as doações podem ser feitas em dinheiro nas seguintes contas:

Banco do Brasil agência 3557-2, conta corrente 5241-8

Caixa Econômica: agência 2735, operação 006, conta 955/6

Pernambuco

Mais de 50 cidades já foram atingidas pelas chuvas em Pernambuco, sendo que 30 decretaram estado de emergência. Há 12 mortos no Estado e passa de 40 mil o número de pessoas que precisaram deixar suas casas. Veja onde doar:

Gravatá

Para os moradores do município é possível doar em diversos pontos, tais como na Secretaria de Finanças, Saúde e Ação Social. Esta última está localizada na rua Francisco Bezerra de Carvalho, no centro. Mais informações pelo telefone (81) 3563 9057/ 9037.

Cabo de Santo Agostinho

Na cidade é possível fazer doações nos centros de referência em Assistência Social (Cras), de Ponte dos Carvalhos e do Cabo. Quem não puder ir até os locais, pode solicitar pelo telefone (81) 3521-6759/6718 à Secretaria Municipal de Programas Sociais e da Mulher para que uma equipe faça o recolhimento dos donativos.

Palmares

A cidade de Palmares é uma das mais atingidas pelas chuvas e, segundo a Defesa Civil, onde mais falta água e comida. A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS-PE) instalou um posto de arrecadação na rua Amaro Bezerra nº 489, em Derby – Recife. Contato: (81) 3423.0604 ou 3423.9907

Barreiros

Um posto da Polícia Rodoviária Federal na entrada da cidade recebe doações, que também podem ser feitas por meio de depósito na seguinte conta:

Banco do Brasil
Agência 0710-2
Conta corrente 6070-4

Rio de Janeiro visa redução de sacolas plásticas

O Rio de Janeiro visa reduzir o consumo de embalagens plásticas em 30%, em um ano. Essa meta faz parte do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas, que teve início no dia 6 de maio. No total são 15 lojas participantes, das redes Pão de Açúvar, Prezunic e Princesa.

O programa visa diminuir a quantidade de sacolas plásticas utilizadas pela força e resistência do material. Sacolas mais seguras aumentam a capacidade de peso dos produtos e evitam o duplo uso. Para isso, elas serão feitas nos padrões da norma ABNT 14937 e ganharão selo de qualidade Abief-INP.

De acordo com uma pesquisa do IBOPE, 100% das donas de casa reutilizam as sacolas plásticas para embalar o lixo doméstico, 75% são a favor do seu fornecimento pelo varejo e 71% acham que são o meio ideal para transportarem as compras.

Outras cidades também já participam do programa, Brasília (DF), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e São Paulo (SP). com isso, o número de consumo de sacolas plásticas já diminuiu em 16,2%, desde 2007.

Recife (PE) e Florianópolis (SC) também receberão o programa ainda em 2010. A adoção de sacolas mais resistentes pelo comércio pode contrinuir para o descarte responsável do plástico pela pópulação.

Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org.br