O que fazer para salvar a floresta?

desmatamento na Amazônia

O Brasil precisa adotar imediatamente um programa nacional de combate ao desmatamento na Amazônia, com apoio financeiro da comunidade internacional.

O programa criaria uma força-tarefa interministerial, com a participação de entidades representativas da sociedade civil e dos setores produtivos, para deter o avanço do desmatamento e reduzi-lo a zero.

Entre as medidas necessárias para impedir uma maior destruição da Amazônia, destacamos:

• A implementação dos compromissos nacionais e internacionais assumidos em 1992 durante a Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB);

• A destinação das áreas griladas na região amazônica (que, de acordo com dados das CPI da Grilagem chegam a 100 milhões de hectares, ou 20% da Amazônia Legal) para a criação de áreas de proteção como parques e reservas extrativistas de uso sustentável;

• A implantação das unidades de conservação já aprovadas e que até hoje não saíram do papel;

• Redirecionamento do programa nacional de reforma agrária para áreas já desmatadas;

• Fortalecimento das instituições encarregadas da proteção ambiental como Ibama e secretarias estaduais de Meio Ambiente;

• Adoção de mecanismos fiscais que punam a extração ilegal de madeira e beneficiem exclusivamente a produção de madeira através de manejo florestal sustentável e certificado pelo FSC.

• Fortalecimento institucional e financeiro a projetos de manejo florestal comunitário;

• Expansão dos programas governamentais de combate às queimadas;

• Demarcação de todas as terras indígenas.

Conter a destruição das florestas se tornou uma prioridade mundial, e não apenas um problema brasileiro. Restam hoje, em todo o planeta, apenas 22% da cobertura florestal original. A Europa Ocidental já perdeu 99,7% de suas florestas primárias; a Ásia, 94%; África, 92%; Oceania, 78%; América do Norte, 66%; e América do Sul, 54%. No caso específico da Amazônia brasileira, o desmatamento que era de 1% até 1970 pulou para quase 15% em 1999 – em quase 30 anos, uma área equivalente à França foi desmatada na região. É hora de dar um basta nisso.

Fonte: Greenpeace

Por Oscar Neto

Anúncios

3 Respostas para “O que fazer para salvar a floresta?

  1. Atualmente são retirados da floresta amazônica mais de 30 milhões de m2 de madeira em tora para consumo interno e o nosso pais é o maior consumidor de madeira tropical. E os cipós são um fator complicador para a extração madeireira. O seu corte é uma operação onerosa e suas consequências ecologicas são imprevisiveis devido à pouca importancia que se dá a esse imenso grupo de plantas e sua destruição, sem dúvida será a destruição da floresta, levando a uma ecatombe ambiental. A destruição de cipós não prevê os danos causados ao ecosistema mas para garantir o retorno financeiro e o estoque de madeira “para consumo” nas proximas safras e um fluxo continuo de produção. Ao cortar os cipós estão destruindo um ecossistema incrivelmente complexo, cheio de vida animal e vegetal e consequentemente destruindo tambem o sistema ambiental, pois os cipós contribuem para aumentar a densidade florestal, tranzendo os oligo-elementos especificos e necessários para a vida da floresta. Só um cego não vê e o Instituto do Meio Ambiente, o que faz?.

Deixe o seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s