Diga não as sacolas de plásticos e sim a preservação do meio ambiente

  O saco de plástico (ou sacola) é um objeto utilizado no cotidiano para transportar pequenas quantidades de mercadorias. Introduzidos nos anos 70, os sacos de plásticos tornaram muito populares, especialmente através da sua distribuição gratuita nos supermercados e outras lojas. As sacolas de plástico é um derivado do petróleo, substância não renovável, feita de uma resina chamada de polietileno de baixa densidade (PRBD) e sua degradação no meio ambiente pode levar séculos.

Problemas ambientais

Quase todos os sacos de plástico não acondicionados em lixeiras acabam, mais cedo ou mais tarde, por chegar aos rios e aos oceanos. Os ambientalistas chamam a atenção há vários anos para este problema e citam o fato de milhares de baleias, golfinhos, tartarugas e aves marinhas morrerem anualmente asfixiadas por sacos de plástico. Esses animais confundem a sacola plástica com seu alimento natural, lulas e outros moluscos e acabam por engolir o material. Quando a morte não se dá por intoxicação, acontece por asfixia.  O caso mais dramático ocorreu em 2002, quando uma baleia anã deu à costa da Normandia com cerca de 800 kg de sacos de plástico encravados no estômago.

Os saquinhos também são uma das causas do entupimento da passagem de água em bueiros e córregos, contribuindo para as inundações e retenção de mais lixo. Quando incinerado libera toxinas perigosas para a saúde.

 

Perspectivas sobre o saco de plástico

Em países mais evoluídos como a Irlanda, foi o primeiro a tomar medidas sobre a produção descontrolada de sacolas de plásticos ao introduzir PlasTax em 2002. .Um imposto que cobra ao consumidor por cada saco distribuído. O resultado desta iniciativa foi a angariação de cerca de 23 milhões de euros para serem investidos em projectos ambientais e uma redução no consumo de 90%. O Reino Unido encontra-se de momento a estudar a hipótese de aplicar legislação semelhante. Na Alemanha, os sacos de plásticos são pagos pelo consumidor em todos os supermercados e é habitual o uso de sacos de pano reutilizáveis ou caixas de cartão. Em Portugal e no Brasil, o uso de sacos de plástico é generalizado e na maioria das lojas é distribuído gratuitamente.

Alternativas

Alguns mercados e lojas de conveniência de grandes cidades como Rio de Janeiro e São Paulo já estão vendendo sacolas retornáveis a seus clientes por preços bastante e atraentes ( o que deveria ser de graça!). Não é muito, mas já é um começo. É um preço justo para não ter suas compras no chão e não poluir o meio ambiente.

É preciso adotar medidas com abrangência de amplo alcance – como elaboração, aplicação e fiscalização de lei. Enfim, colocar em desuso as sacolas plásticas e engajar as pessoas nessa causa ambiental.

Seguem algumas dicas de como começar a diminuir o uso das sacolas descartáveis:

  • Comece a levar uma sacola própria para fazer as compras, seja no supermercado, na venda, quitanda ou feira.;
  • As famosas “sacolas de feira” são uma grande dica, seja ela de plástico resistente, seja de pano;
  • Se a quantidade de compras seja muito grande, peça no supermercado caixas de papelão para transportar as compras.
  • Caso seu supermercado utilize sacolas biodegradáveis, de preferência para estas;
  • Cuidado com as sacolas Oxibiodegradáveis. Apesar delas se “desfazerem” no ambiente, diferentemente de uma sacola biodegradável, que é consumida por microorganismos, a sacolas Oxidegradáveis se utilizam de componentes químicos nocivos para decompô-la, continuando a poluir o ambiente, apenas não serão visíveis aos nossos olhos (para mais detalhes consulte: http://www.ambiente.sp.gov.br/artigos/270707%5Fengodo%5Fplastificado.htm);
  • De preferência pelos sacos de papel;
  • Verifique as datas de validade dos produtos. Você poderá estar levando um produto que irá para o lixo
  • Repensem suas compras. Será que tudo que você está comprando será utilizado ou bom parte irá estragar e ir para o lixo? Você precisa mesmo do que está comprando ou foi a propaganda que lhe disse para comprar? Quanto menos compras, menos saquinhos serão utilizados.

Referências:

Maurício Waldman Dan Schneider, Guia ecológico doméstico, Editora Contexto.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Saco_de_pl%C3%A1stico. Acesso em:03/08/2009 as 16:40 hs

http://www.dm.com.br/materias/show/t/alternativa_para_as_sacolas_plsticas Acesso em:03/08/2009 as 17:00 hs.

Autora:

Edilene Teles Barbosa- Graduada em Ciências Biológicas  pela Universidade Católica de Goias.

Anúncios

Deixe o seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s